Viajar, Viagem, Viagens


Blog sobre Viagens, conheça os melhores destinos, informações úteis para quem vai viajar, veja como tirar passaporte, visto, e claro ter acesso a promoções exclusivas de passagens aéreas!

O que é necessário saber antes de viajar para a Itália?

O que é necessário saber antes de viajar para a Itália?

o que preciso para viajar para itália, o que precisa para viajar para italia, o que precisa para ir para italia, o que precisa para viajar para a italia, o que precisa viajar italia

.


Responder Facebook

4 Comentários sobre "O que é necessário saber antes de viajar para a Itália?"

Participe você também, faça seu Comentário!

  1. Marllon Angy diz:

    ter noção da lingua italiana.

  2. !!!É nóis em 2010!!! diz:

    Começou com um menino que mamou numa loba, e fundou a cidade de Roma. Depois, esse povo metido nascido em Roma passou a conquistar todos os povos ao redor, usando pizzas como armas, e depois prendendo os derrotados com tiras de tagliarini al dente. Derrotaram inclusive Cartago, potência que usava elefantes, orks, e emos como armas de guerra. O problema foi que em Cartago o cozinheiro errou na mão e jogou sal de mais, por isso tiveram de jogar Cartago no lixo e nunca mais reapareceu.
    Eles conquistaram todo o mediterrâneo e chamaram de “Privada nostrum”. Mas os romanos começaram a ficar insanos, e se perderam em orgias com mulheres, homens, pizzas, putas pagas, e todo tipo de desgraça. Até que a gente pela-saco de Hitler e gorda do norte, veio e pôs um fim a tudo aquilo.
    Depois os italianos ficaram na moita, divididos, sem se importar com o resto do mundo. Mas até que Tiago Lacerda, saiu do elenco de “Terra Nostra” e veio unificar a Itália, junto com sua amante, a Ana Paulo Arosio, que veio a ser conhecida como Anita Garibaldi. Depois de unificada, veio a Primeira Guerra Mundial, onde a Itália deu uma de judas e traiu a Alemanha, e passou para o lado dos franceses e ingleses idiotas. Si fu, pois levaram uma coça e não receberam o que os aliados prometeram. Mas Mussolini, a namorada de Hitler, levou a Itália ao esplendor com a ideologia do fascismo, e ajudou Hitler a brincar de boneca (O que ficou conhecido como Segunda Guerra Mundial). Mas a Itália é tão ruim, que acabou atrapalhando Hitler, conseguindo inclusive ser derrotada pela pequena e fraca Grécia. Depois dessas patéticas participações, a Itália percebeu que ela era péssima em guerras de decidiu fazer o filme La Vita è Bella, e se voltou para a recuperar o país, matando Mussolini e colocando outro político no comando, logicamente voltou a reconstruição com massa de pizza. No entanto, Mussolini ressucitou, na forma de Berlusconni, o namorado de George W.C. Junior.

    [editar] Mulheres – Homens – Mendigos

    Ô delícia! Melhor que lasanha!!
    A Itália possui muitas mulheres gostosas que falam alto pra cacete e putas também, o que ainda não foi explicado pela ciência. A maior de todas é a Monica Bellucci, mulher mais gostosa do universo, sem contar o fato que todas elas se produzem e usam maquiagem para ir ao açougue como se estivessem indo para o Oscar. A cor de sombra que elas mais gostam são azul, azul bebe, azul Hebe, azul turquesa, roxo, roxo claro, roxo escuro, roxeado, lilás e bonina (?). Tudo intercalado com muito laquê. O mesmo serve para as descendentes de italianos no Brasil.

    Italiana após ter voltado do supermercado
    A grande maioria dos homens vive com a mãe e recebe ordem das mesmas, a não ser quando saem de casa, aos 45 anos (fim da adolescência) para se casar com as italianas que enchem a cara de pasta, mas nao engordam nem fudendo, diferente das mulheres daqui, que não passam dos 140 Kg ANTES de terem filhos e de cabelo de chapinha. Além disso, são como todo bom europeu, odeiam “estrangeiros”, mas mesmo assim aturam e até fazem piadas no melhor estilo italiano pra sacanearem essa “gente exótica”.
    Os mendigos na Itália vivem por causa dos cachorros, por que os italianos tratam os cachorros como filhos, acham eles muito bonitinhos e sempre dao uma moedinha para os seus donos (os mendigos).
    Ao fazer o primeiro mapa geográfico do mundo (ou assim dizem os romanos), o romano Rocco Siffredi decidiu que todas as terras e meios de comunicação seriam doados a Silvio Berlusconi, quase tão querido quanto a mamma na Itália.
    [editar]Cultura

  3. Ari diz:

    Como se comportar lá, pois cada país tem a sua cultura que deve ser respeitada e obedecida.

  4. Tatiana diz:

    Oi Guishepa,

    ANTES DE IR…
    1) Reserve os hotéis no centro da cidade. Ok, eles podem ser mais caros. Ok, eles costumam lotar rápido. Ok, dá uma vontaaaaaaade de reservar aquele mais baratinho que fica um pouco mais longe, afinal, a idéia é apenas ter um lugar para dormir. Tá. Mas acontece que nada compensa a vantagem de andar a pé na Itália. Sem contar que muitas vezes o pouco que você vai pagar a menos vai por água abaixo logo que você começar a gastar com transporte – e muitas vezes com táxi, especialmente depois de uma certa hora da noite. Em Veneza, então, nem pensar em ficar em Mestre ou em qualquer outra ilha que as agências adoooram. Um bilhete de vaporetto pode custar até € 6. Já pensou ter que desembolsar tudo isso cada vez que quiser por os pés para fora do hotel – e voltar? Pronto, já se pode dizer que ficar bem localizado é economia. Só vale a pena é ficar esperto e reservar com antecedência.

    NA CHEGADA…
    2) Jamais pegue um táxi ao desembarcar no aeroporto. Digo isso a menos que você a) esteja com tantas malas que não vai, em hipótese alguma, conseguir carregar sozinho; b) não liga de ficar preso horas nos engarrafamentos que fazem inveja a São Paulo; ou c) não ligue de pagar o triplo, o quádruplo, o quíntuplo – e em euros! – por uma outra alternativa simples e confortável. Isso vale tanto em Roma quanto em Milão ou Veneza, um dos três aeroportos que você provavelmente vai desembarcar. Em Milão, o ônibus executivo desde Malpensa custa € 6. É também a melhor alternativa em Veneza. Em Roma, a melhor maneira para ir de Fiumicino até o centro é de trem. A viagem dura pouco mais de meia hora e custa € 9,50 até a estação Termini. O percurso de táxi não sai por menos de € 70…

    3) Entre no fuso local o mais rapidamente possível. Eu não me refiro apenas a acertar o relógio e forçar o corpo a chegar no lugar. Mas a adotar alguns dos deliciosos hábitos locais. O café no meio da manhã. O almoço no balcão. A happy hour em Milão – aliás, o que é aquilooo? A partir das 18h, 18h30 todos os bares montam mesas cinematográficas de petiscos. De graça. Você só tem que pagar a bebida, as guloseimas são oferta da casa. Imperdível. Prepare-se para estar com fome a esta hora. Mais uma dica econômica… :-)

    UMA VEZ LÁ…
    4) Evite alugar carro enquanto estiver em cidades grandes. Roma, Veneza e Milão definitivamente não foram feitas para turistas desavisados, desnorteados e sem garagem de graça. Além de ser super confuso se localizar, é impossível parar nas ruas e os estacionamentos custam uma fortuna. Mesmo que a idéia seja rodar de carro pelo país, programe-se para pegar o carro na saída de uma grande cidade e devolver na chegada de outra – e se puder fazer isso nas agências longe do centro, melhor ainda. Sempre prefiro pegar o trem e ir até o aeroporto de Roma, por exemplo, para já pegar a estrada direto e sem stress.

    5) Tente ser flexível nas viagens de carro. Ainda que você seja do tipo ultra-mega-organizado, é sempre bom deixar o mapa no porta-luvas e se perder. Se for pela Toscana (foto) então…

    6) Dedique pelo menos um pouquinho do seu tempo às delícias locais. Se estiver pela Toscana, visite uma fábrica de queijo pecorino; se o destino for a Emilia-Romanha, vá ver de perto como é feito o presunto de Parma e o queijo parmiggiano reggiano (a agência Parma Golosa organiza tudo). Descubra como uma aceitaia tradicional de Modena pode produzir delícias muito melhores do que o ralo aceto balsâmico que a gente usa para temperar saladas (a Malpighi recebe turistas e organiza degustações). Visite feiras, sempre e por todo canto.

    7) Visite vinícolas também, claro. Na região de Chianti, em Montalcino… Se possível, hospede-se numa. Nada mal acordar e ver aquele mar de vinhedos da janelinha. Nas refeições, abuse dos vinhos também. Na maioria das vezes ele vai custar muito mais barato do que um refrigerante.

    8) Programe-se. Se tem horror de fila, fuja dos dias em que as atrações são gratuitas (consulte o escritório de informação turística da cidade antes). Evite os domingos nos museus (especialmente os do Vaticano!). E procure saber que atrações exigem reserva antecipada – é o caso, por exemplo, da Ultima Ceia, do Da Vinci, em Milão. Quem não tem reserva dá literalmente com as caras na porta, sem direito a chorumelas.

    9) Tome muito café, experimente todos os sorvetes (de nocciola, de gianduia…), mas não espere muito da pizza – a menos que o seu destino seja Nápoles. Ela costuma ser bem diferente do que imaginamos. Muitas vezes é quadrada e vendida pelo peso. E sem qualquer sutileza (há exceções, eu sei. Mas elas são raras).

    ANTES DE IR EMBORA…
    10) Faça algo completamente inusitado. Permita-se fugir do roteiro. Algumas das minhas melhores lembranças da Itália surgiram assim. De um dia de hotéis lotados na costa da Ligúria que me fizeram ir domir numa cidade no fim do mundo chamada Comano, com piquenique no quarto… de um passeio despretencioso por Santa Margherita Ligure, enquant

Faça um Comentário!

Você está em: Viajar // Viajar Para // O que é necessário saber antes de viajar para a Itália?
Copyright © Viajar, Viagem, Viagens | Todos os direitos reservados.